CENTRAL DE NOTÍCIAS


15/10/2018

Estudantes da Nutrição se destacam em trabalhos desenvolvidos em estágio



A UNICEP, aliando sempre o ensino em sala de aula com a prática, se orgulha dos seus estudantes que se destacam, também, fora da instituição.

É o caso dos trabalhos do estágio obrigatório, desenvolvidos pelos estudantes do curso de Nutrição, que foram elogiados.

Luan Neves, aluno do oitavo período, realizou seu estágio em uma Unidade de Alimentação e Nutrição de autogestão. Uma instituição grande, cujo trabalho concretizou através de uma carta de elogios pelo excelente serviço prestado e pelo teor de conhecimento do estágio. “Através do estágio obrigatório em Educação Nutricional, tive a opção de escolher entre alimentação e nutrição de funcionários ou usuários. Escolhi usuários e tive a ideia de montar um ‘bandejão saudável’, pois o comum é servir os usuários com aquela bandeja espelhada com repartições, sem a inserção de proporção ideal dos alimentos, já que eles mesmos que se servem”, disse o estudante da UNICEP. Segundo ele, a ideia do trabalho nutricional desenvolvido com o apoio da Nutricionista local, foi balancear a alimentação servida de acordo com o cardápio diário. “A nutricionista responsável pelo local ouvia reclamações dos usuários que, por exemplo, eram servidas salsichas como refeição principal, então utilizei a salsicha como uma salada, ou no macarrão por exemplo, e não como prato principal”, disse Luan.

O estágio curricular obrigatório foi de seis semanas, correspondentes a 40 horas. “Pude acompanhar todo o processo, então foi muito gratificante, pois eu não esperava que meu relatório desenvolvido, fosse chegar nas mãos do diretor de divisão acadêmica da instituição que realizei o trabalho e que ele mandasse um e-mail me parabenizando. Foi um incentivo muito grande, pois, na verdade, apliquei na prática tudo que aprendi em meu curso na UNICEP”, disse.

Outra estudante de destaque foi Giselle Lisboa de Sousa, também do oitavo período, que atendeu um paciente que não sabia ler e escrever em uma Unidade Básica de Saúde de São Carlos (UBS). O paciente precisava de um plano alimentar para ele, mas, além dele, sua companheira também não sabia ler. “O paciente sofria de hipertensão arterial e cardiomegalia e foi encaminhado pelo Cardiologista à Nutricionista, devido seu excesso de peso e, foi constatado na avaliação antropométrica, que o paciente estava com obesidade grau III. Dessa forma, a intervenção nutricional objetivou a melhora do seu quadro de saúde”, disse a aluna que desenvolveu um cardápio autoinstrutivo, com figuras ilustrando as refeições e suas quantidades. “No momento da avaliação, ele e a esposa estavam juntos e, ao perguntar a escolaridade, ambos responderam ser analfabetos. Nesse mesmo momento, surgiu a minha preocupação de como fariam para ler o plano alimentar que seria proposto e perguntei- lhes como faziam para identificar os remédios que eram receitados para o controle de suas patologias. Eles responderam que aprenderam a identificar as cores nas caixas. Fiquei comovida e preocupada com essa condição”, disse Giselle que e buscou a melhor maneira de ajudá-los.

Com muito estudo, pesquisas e orientações, a futura Nutricionista e estudante da UNICEP teve sua grande ideia. “Elaborei tudo, montei as imagens com o alimento e as porções (se uma concha, se duas escumadeiras, tudo com imagens) e fiz item por item. Mas, isso foi pouco, diante da satisfação que estava sentindo em poder dar ao paciente a autonomia necessária para que pudesse seguir sua dieta, sem precisar de ninguém, sem sentir-se impotente. Assim, ele poderia nos ajudar com mais responsabilidade, dedicação e cumplicidade na consecução da dieta que estávamos propondo a ele”, disse a estudante que também se sentiu realizada ao entregar o Plano Alimentar ao paciente. “Pude ver naquele momento, que valeu a pena a madrugada em claro, as horas dedicadas e cada detalhe pensado e foi imensuravelmente, gratificante para mim. Expliquei cada item, se estavam entendendo as figuras, a quantidade de colheres e incentivei-os a contar as colheres comigo, pois, na verdade, eu tinha essa dúvida se saberiam contar e, por fim, eles entenderam tudo e me agradeceram dizendo que no cardápio, tem tudo que eles gostavam de comer”, finalizou.

Orgulhosa, a coordenadora do curso de Nutrição da UNICEP, Valéria Schneider, disse que histórias como essas de estudantes em destaque, “estimula e incentiva os outros estudantes e àqueles que ainda têm dúvidas se querem ingressar na Nutrição da UNICEP”.






Newsletter UNICEP
Deixe seu email e receba nossas novidades »